As Certezas Da Vida

Nunca fui certa quanto às coisas da vida durante todo esse tempo em que vivi. Saía de casa sem saber se estava adequadamente vestida, entrei para o curso de engenharia com milhares de perguntas na cabeça, bebi nescau querendo beber cerveja e comi miojo por preguiça de fritar o bife que estava temperado na geladeira. Mas se tem uma coisa da qual eu tenho certeza na vida, essa coisa é você. É, desde o começo, desde o dia em que os nossos olhares se cruzaram pela primeira vez naquela festa e insistimos em desviá-los várias vezes.

Isso é completamente clichê, mas os textos românticos se alimentam deles, me perdoe. Eu sabia que era você e foi você, está sendo você, vai ser sempre você e eu não tenho dúvidas disso porque passou o calor de quarenta graus, vieram as nuvens, a chuva, até mesmo de granizo e você continuou lá, naquele cantinho em que escolheu morar no meu peito. É verdade que de vez em quando você se esconde, mas basta passar em frente aquela chopperia, assistir o comercial daquele filme ou abrir a primeira gaveta que você dá o ar da graça.

Será que não tem como ficar escondido para sempre? Ou melhor, será que não tem como sair não só do canto mas do todo? Parece que não né, porque é você. E quando é alguém, esse alguém simplesmente fica. Chegam outros, alguns porquês, mas aquele alguém, o alguém … ah, ele fica, porque foi ali que fez morada. E você se pergunta porquê, como e nunca consegue responder. Acredite, eu passei noites em claro tentando adivinhar, coloquei as perguntas no caderno e fiz tópicos com todas as possíveis respostas e tudo foi em vão, foi quando cheguei a conclusão de que você é a certeza de tudo.


Não sei se você entende muito bem esse conceito de certeza mas é como se você sempre estivesse lá, sabe? Eu posso ficar loira, posso largar Engenharia e fazer Letras, ter 23 namorados, mudar de cidade mas uma coisa nunca vai mudar em mim: a tua presença. Você é a minha certeza. E como eu sei disso? Bem, já fazem dois anos, no status do Facebook não é mais você, eu larguei Engenharia e faço Letras, fiquei ruiva, dispensei 23 caras e você ficou.

Não resta nenhuma dúvida, se é que existiu uma algum dia de que você sempre vai ficar aqui. E quanto mais distante você está, mas o meu desejo de te ter por perto aumenta, porque de nada vale ter seguido os meus sonhos, ter pintado o cabelo ou ter visitado mil lugares se você não estava lá comigo ou se eu não podia te ligar pra contar. Lembra que a gente deitava na cama e ficava conversando até às três da manhã sobre as coisas da vida? Hoje eu deito na cama, olho pro teto e fico imaginando como seriam as nossas conversas com tanta coisa acontecendo nas nossas vidas. Eu nem ao menos sei se você é feliz, se está em dia com aquela série que nós víamos juntos ou se tomou jeito e não reprovou mais na faculdade porque era irresponsável e ia beber todos os dias a partir das quintas naquele bar onde o litro da cerveja custava seis reais e o cachorro quente era um real.


Dói você ter virado um estranho e ao mesmo tempo ser tão comum no meu interior. Dói ver alguma coisa, lembrar de você e não poder te contar. Dói chegar o final de semana e não pegar dois ônibus pra passar o final de semana com você, até isso dói e essa era a parte que eu mais detestava, lembra? Dói ter certeza que é você e ver nascer a certeza de que pode nunca mais ser você. Dói porque eu nunca tive tanta certeza de construir um futuro com alguém como tive com você. Me imaginei pela primeira vez ao lado de alguém com meus cabelos brancos dando o ar da graça, e me senti feliz, segura …. Pena que foi rápido, intenso e devastador.

0 comentários: