Um Dia Frio

Hoje é um dia atípico na minha cidade. Chove desde ontem a noite, os termômetros marcam 15 graus e na hora em que acordei, não tinha luz, e isso me impediu de seguir minha rotina de estudo e trabalho. O que não foi nenhum sacrifício, visto que esse tempinho não pede nada além de um cobertor e uma bebida quente.

Despertei e tomei uma surra do fogão até me dar conta de que estava sem luz e precisava usar fósforo, como nos velhos tempos. Esquentei um pouco d’água, preparei aquele chá que gosto de tomar com mel e fui pra varanda. A chuva caindo, o barulho do vento, o silêncio da casa e você na cabeça. Só você e a vontade de estar com você naquele momento cuja descrição seria perfeita para nós dois e nossa fase.

Você é calmaria, é paz, tranquilidade, é minha válvula de escape, é esse chá doce que tomo enquanto a luz falta e eu não ligo muito para as tarefas do dia porque elas simplesmente não importam mais. Você é tudo o que eu sonhei e mais um pouco, você é o dono do improvável, aquele que me acorda com café na cama, que tranca a porta do carro em um pedido desesperado de ''fica'' e que manda mensagem perguntando onde estou, só pra aparecer lá 10 minutos depois. É loucura e é amor, é atitude, não é palavra e nem precisa ser, porque tudo o que faz me conta o que quero saber.


Não sei quando ou onde essa história começou, foi tudo tão natural que não marquei data, tempo, só desejo que faça meu coração querer sair da boca, que encha minha barriga de borboletinhas, que seja real e que a gente possa viver. Aquela coisa toda bem clichê de gente apaixonada, sabe? Porque dizem por aí que é assim que eu tô, apaixonada, cantando toda hora e dizem o mesmo de você, né? Dizem até que eu sou o motivo de você não ter mudado de bairro. Eu deixo que falem e dou risadas. No meu peito sei que tenho você, fico aqui com meus pensamentos e peço: não demora pra voltar, e se não for voltar tão cedo, vem me buscar de novo, não quero morrer nesse frio com saudades de você.

0 comentários: