Onde Está Minha Liberdade?

Houve um tempo em que eu era livre, podia andar, correr, ir, voltar de dia ou de noite. Pouco importava o horário, pouco importava a roupa, tampouco o local ou a companhia, eu só ia e voltava com a certeza de que se fosse, voltaria. Hoje não mais, me sinto presa, como se não pudesse ir e se for, agoniada por não saber se vou voltar ou como vou voltar. Cortaram minhas asas, cortaram meu sonhos, cortaram meu direito de andar livre por aí, de mandar uma mensagem pra avisar que tô chegando ou de ligar pra ficar fofocando.


Posso ter as coisas mas não posso viver as coisas, vivo enjaulada em meu próprio espaço, meu próprio quarteirão, meu próprio bairro. Isso não é vida, isso não é o que eu queria. São tempos difíceis e não sei se vão mudar. No fundo sinto que vai piorar, nunca vou ter minhas asas de volta, não vou poder mais ir e voltar a qualquer hora ou vestir qualquer roupa, virei produto do medo. Pior do que viver de asas cortadas é viver na gaiola sem chave. Quem pegou a chave? Eu não sei. Devolve a chave, abre minha gaiola. Devolve minha vida, meus direitos e meus sonhos, eu só quero ir e voltar, e ir de novo e continuar traçando meu caminho, dando meus passos, deixando pegadas e risadas.

0 comentários: